Sim, já tinha perdido quase 12kg! grrrr

segunda-feira, 31 de março de 2008

Pequenas vitórias # 2

Podem dois quilos fazer a diferença?
No meu caso fizeram! Estes dois últimos quilos perdidos significam que:

"Recuperei" mais dois pares de calças, umas pretas clássicas, super elegantes e umas azul petróleo, mais básicas.

Também já estou a apertar o soutien no colchete do meio! (e não, já não é no último e a fazer regueifinhas nas costas!)

Tenho uma boa quantidade de cuecas de algodão para mandar para o lixo, já que alargaram no processo de "engorda", fui andando mas agora estão mesmo sem ponta por onde se lhe pegue!

O meu fato de banho ficou largo, já não consigo nadar com ele. A mami está tão entusiasmada com o processo da minha "desengorda" que me apareceu com um muito bonito, da Speedo. (Acho que teve medo que eu deixasse de ir à piscina se não tivesse dinheiro para um fato novo. Mas bolas... um da Speedo custa mais que três dos meus normais! Fiquei um bocado encavacada, confesso...)


A roupa começa toda a ter outro cair, os oito quilos que perdi no total já fazem muita diferença. Tarda nada, vou voltar a usar as minhas saias lindas! Podem anotar!


Pois é, a disciplina e o cuidado compensam :))))

sábado, 29 de março de 2008

E lá se foi outro!


Peso desta manhã, com óculos e relógio: 71!!!


(amanhã tento de lentes de contacto e sem relógio, tenho cá pra mim que no máximo peso 60...)

quarta-feira, 26 de março de 2008

A famosa entrevista

A pedido da Flávia, aqui estou a responder às perguntas....

a. Qual seu apelido? (aqui em Portugal é alcunha)
Té, Teresinha, Tê, Têrê (amigos brasileiros...), Inha (mana quando era bebé e agora quando tenta sacar um carregamento no telemóvel) e Papoila, Papoilinha (por uma amigo do peito)
A minha mãe também me chama Roflin, que era o nome de um cão que ela teve quando era miúda. Parece que era um bom cão.
b. Qual sua altura?
Uns míseros 1.60
c. Qual seu peso actual? Coloque a data de hoje.
27/03/08 - 72 quilos (mas com óculos, já que sem eles não vejo o mostrador da balança)
d. Qual o maior peso que você atingiu? Com quantos anos? Como era sua vida nesta época?
79 quilos aos 36 anos, isto é, na Primavera e Verão passados. Foi terrível, estava a passar uma fase de quase falência, tive que fechar uma loja grande e linda para abrir uma mais pequena que acarretasse menores custos de manutenção. Foi deixar o Porto, cidade que amo. As minhas duas amigas mais chegadas foram viver para longe - uma foi mesmo para África do Sul - e senti-me terrivelmente só, completamente isolada e fracassada.
e. Qual o menor peso que você atingiu após adulta? Como?
Nunca fui magrela depois da adolescência, mas até ter problemas hormonais oscilava entre os 55/58 quilos.
f. Quando iniciou seu blog?
Agosto de 2007
g. Quando você iniciou a reeducação alimentar? E o que te fez iniciá-la?
Em Agosto de 2007, quando me vi com 78/79 quilos (tinha duas balanças, uma era antipática e a outra absolutamente nojenta!). O meu amigo J (o tal da Papoilinha...) disse-me de caras que eu estava gorda e que tinha que tomar uma atitude antes que o problema se agravasse. Foi ver a minha imagem no vidro espelhado do banco e perceber que aquele pneu que abanava com o caminhar era meu. Todo meu, uma imensa bóia logo acima do umbigo! Foi também ter o armário cheio de roupa que não me servia e não ter dinheiro para comprar nova, a não ser três t-shirts baratuchas e isso porque tinha de ir para o trabalho. Comprar umas calças 46 em promoção no Feira Nova porque não tinha dinheiro sequer para entrar numa loja. E ter várias lindas penduradas no armário.
h). Tem alguma foto da época do inicio de seu processo de reeducação alimentar?
Tenho, fotografei-me imenso frente a um espelho para ver o tamanho do estrago que fiz ao meu corpo. Servem-me de referência.
i) Quanto você pesava no inicio da RA? E qual a sua meta?
Pesava 79 e pretendo chegar a um imc saudável, no máximo poderei ter 63. Mas com uns 58 sou boa como o caraças :)))
j) Como é sua RA?
Cuidado com o que como, evitar a secção dos queijos no supermercado... Em termos gerais, não introduzi nada de novo na minha alimentação, apenas retirei. Sempre comi vegetais, adoro. Agora debato-me com o problema de não ultrapassar as três peças de fruta por dia. Sou menina para comer sete ou oito sem dar por ela.
l) Quais foram os momentos mais difíceis?
O início, a época do Natal, em que engordei -ainda que pouco, fez-me andar para trás. A lesão no meu pé que não me permite caminhar.
m) Quais os momentos mais felizes durante todo o processo? Tem fotos deste momento???
Ter dinheiro para poder voltar a fazer Pilates! Ter vestido em Dezembro as minhas calças de ganga preferidas e há dias as minhas castanhas. Ontem, por ter reparado que o meu pullover rosa me fica mal porque está grande.
n) Quais os artifícios "extras" que você utiliza no seu processo?
Chá verde descafeínado. O normal põe-me eléctrica e sem sono (que raramente tenho... lol)
o) Já tomou remédio para emagrecer? Como foi?
Já, vários, na fase pós cortisona e estrogénios. Meti na cabeça que se tinha engordado com medicamentos, haveria de emagrecer com eles. Andei anos a emagrecer / engordar. O último que tomei foi o reductil, acho que em 2000/01, não tenho certeza. Todos me tiram a fome mas dão-me dores de cabeça, vertigens, irritação, insónia, boca seca... não compensam!
Fora que, tirando o medicamento, volta a fome. Não há mudança de hábitos verdadeira, apenas suspensão da fome.
p) Qual o exercício físico que você mais gosta de praticar?
Natação! eu adoro nadar, nunca encarei como exercício sequer. Quando a minha pele está mais sensível não posso ir para piscinas, é um sofrimento e tanto. Também gosto muito de Pilates, por me obrigar a concentrar, a "ouvir" o meu corpo.
q) Qual o seu maior conselho para as amigas blogueiras?
Não desistir. Persistir sempre. Se eu fizer uma média, emagreci menos de um quilo por mês. Mas se não tivesse iniciado este processo, teria ainda esses sete quilos a mais ou talvez até mais.

Se hoje erro, amanhã acerto!
r) Se você pudesse entrar numa máquina e sair com o corpo dos seus sonhos, que corpo seria este?
Nem era bem o corpo... era tudo! Monica Bellucci forever! Ou como costumo dizer, esta mulher faz de mim uma fufa em potencial...lololol



Passo a palavra às seguintes meninas:

Mishi do Eu versus Kilos

Ximiusa do No more kilos

Ana Sofia do Procuro-me

Estela do A fairy tale

Muffin de Chocolate do blog com o mesmo nome.

Todas elas perderam muitos quilos e creio que nos podem contar experiências interessantes. E agora vou avisá-las que lhes estou a dar trabalho! :)

And I'm feeling good....


Então é assim: ontem à noite fui à aula de Pilates e saí de lá estourada. Fiz exercícios com aquelas bolas gigantes e tive que aturar a professora com teorias do género “desenrola o corpo em C”, “faz roldão”, “cola as omoplatas ao chão” e outras. Se calhar era por estar com o período, mas a senhora pareceu-me estar bem mais exigente ontem. Por exemplo, repetiu várias vezes “levanta os braços em balança” e eu confesso que já estava a ficar irritada com aquilo mais a lorpa que não levantava o raio dos braços. Afinal a lorpa era eu e tive que passar pela vergonha de ver a professora levantar-se e vir ter comigo com aquela atitude seráfica típica dos professores destas coisas. (Eu acho que aquela gente acorda de manhã e come livros do Dalai Lama, só pode.)
“Você está ausente hoje”, disse. Ausente uma pinóia! Eu estava era preocupada em equilibrar-me numa bola enorme, sem balançar, com os pés em posição, o transverso accionado, a coluna neutra e a fazer rotação da dorsal sem mover a cervical. Ainda por cima, frente a um espelho antipático que mostra o pneu em todo o seu esplendor. E bota esplendor nisso!

Mas sobrevivi! E hoje de manhã lá me levantei para ir nadar meia hora, às 8 da manhã a piscina está linda! Só lá estava um rapaz, imaginem uma piscina de 25 metros para duas pessoas… eu detesto povo na água! Por isso troquei a ida à piscina ao domingo por esta à quarta-feira. Ao domingo tem muita gente que pensa que vai nadar. Na verdade, limitam-se a nadar vinte metros e a conversar encostados à parede, depois outros dez metros e assim por diante. Tem quatro homens hilariantes: chapinham um pouco, engasgam-se e depois ficam encostados à parede a falar de futebol e carros. Mas acho que precisam daquela ilusão de que “praticam desporto”. Por acaso são simpáticos, sempre que me aproximo, há sempre um que diz “dá aí espaço, não atrapalhes a menina”. Porque raio não vão para o café???

Fiz alongamentos, uns exercícios de hidroginástica e depois nadei 750 ou 800 metros (baralhei-me nas contas) sem parar.

E sabem que mais? Estou orgulhosa de mim!

terça-feira, 25 de março de 2008

Balanço da Páscoa

Olá a todas!

A Páscoa já se foi e não fez estragos. Comi apenas pão-de-ló e doces brancos (dois pequenos). Nada de grave, a balança nem estremeceu :)

Hoje lá vou à aula de Pilates e amanhã às 8 horas estarei na piscina para tentar dar uma aceleradela ao processo!



Quanto ao Diogo, apanhou uma amêndoa e tive que lha tirar da boca, já que aquilo lhe pode provocar alergias. Ele quase ganhou! Mas lá consegui sacar uma amêndoa peganhenta da boca do bicho :)))

sexta-feira, 21 de março de 2008

quarta-feira, 19 de março de 2008

De moral elevado

Passado o choque inicial, é hora de pôr em prática hábitos mais saudáveis. Eu sei que sou capaz!
Quando estive doente e a medicação descontrolou o meu fígado, vesícula e pâncreas, fiz uma dieta rigorosíssima. Subitamente, fiquei intolerante à lactose (coisa que eu não era até essa altura), e proibidíssima de comer leite e derivados, tomate, pepino, todos os citrinos, carne de porco, refrigerantes, gelados, grelos (aiiii) e mais alguns alimentos de que agora não me recordo. Na altura perguntei-me que raio iria comer, eu não imaginava a vida sem leite, citrinos, maçãs verdes e vermelhas, tomate, grelos… outras coisas eram mais fáceis de prescindir. Imaginam o que é ter laranjeiras no quintal e não poder beber um simples sumo?

A verdade é que fiz o tratamento a rigor e, para surpresa do médico que me acompanhava, o meu fígado teve uma recuperação espantosa. Voltei a comer de tudo, excepto leite com lactose, disso não recuperei, deixei de produzir a enzima que processa a lactose. Mas posso comer queijo e iogurtes, uma vez que a fermentação do leite divide a lactose por mim.

A verdade é que eu lido muito mal com a doença. Ontem liguei à médica, falei-lhe nos valores e… ela disse que era normal, que o meu fígado e afins ainda não estavam a processar bem a gordura, mas que não era nada de grave, que com o medicamento e uma dieta mais pobre em gordura, conseguiria normalizar tudo. Além disso, o meu “colesterol bom” está óptimo, assim como todos os valores do hemograma. Se eu andasse só a comer porcarias, esses valores também ficariam alterados.
E depois… “ó menina, anda por aí tanta gente com valores bem piores e sem o saber! E magrinhas, fique a saber!”.

De modo que estou mais animadita: se já fiz uma dieta muito, mas mesmo muito mais difícil, porque raio hei-de falhar nesta, em que posso comer imensa coisa? Não vai ser um colesterolzito da treta a derrubar-me! Ou eu não me chame Maria Papoila! (quer dizer, não me chamo, mas vocês percebem a ideia, certo?)

Ontem fui à aula de Pilates, só não fiz dois exercícios (o raio do pé!), cheguei a casa às 22.30 e ala de fazer o saco para a natação. Hoje às 8 da manhã já estava na piscina, para compensar sexta e domingo, dias em que estará fechada.

A partir de amanhã e até terça, só farei Pilates em casa, fecha tudo na Páscoa!

Notas positivas do dia:
- já consigo nadar 600 metros sem pausa! A pausa consistiu em exercícios de hidro e depois fiz mais uns 250 metros. Ainda longe dos 1000 mt sem pausa, mas volto lá!
- consegui ir à minha padaria favorita, ida e volta devem ser uns 700 mt. E sem vontade de chorar cada vez que pouso o pé!


Ps – obrigada a todas pelo carinho! Posso não ter tempo para ir agradecer de blog em blog, mas acreditem que a vossa gentileza não passa em branco.

terça-feira, 18 de março de 2008

Desafio pessoal

Ontem foi um daqueles dias em que não tive tempo sequer para respirar. Muita trapalhada para resolver e algumas pequenas más notícias. Mas vamos por partes:

Estou a participar no Desafio Desistir Jamais da Lu Francesa, que começou na sexta-feira passada e termina dia 1 de Maio. Para mim é excelente, já que faço anos pouco depois e queria ter uma motivação especial.
Ontem de manhã pesei-me, medi-me e fui fazer umas análises básicas de colesterol e triglicéridos. A boa notícia é que estes últimos baixaram um bom bocado, a má é que o colesterol subiu proporcionalmente. Deixou o parâmetro normal e “evoluiu” para alto.

Confesso ter ficado um pouco confusa, na minha ingenuidade, pensava que alimentação mais saudável + perda de peso = baixa desses valores. Costuma ser assim, certo?
Quer dizer, os triglicéridos baixaram bastante, alguma coisa fiz bem… mas o colesterol subir??? Vou ter de fazer alguma investigação para tentar perceber o fenómeno, tá visto!

Medi também pela primeira vez a minha massa gorda e apanhei um susto e tanto. 39.2%. Sem comentários! Ou melhor: se tiverem numa farmácia próxima uma balança das que mede a massa gorda (aka banha pura), aproveitem e informem-se.

Ontem senti-me mesmo mal com isto, desatei logo a imaginar qual seria a percentagem antes destes quilos que perdi. Pura perda de tempo: não medi, não sei, logo é andar para a frente e não pensar mais nisso.

De modo que vou postar toda esta informação e depois do dia 1 de Maio, posto os novos resultados. Assim uma espécie de “para memória futura”…

17/03/08
Peso – 73 kg
Cintura – 97 cm
Pneu – 92 cm
Abaixo do peito – 96 cm
Peito – 110 cm
Anca – 108 cm
Cimo da coxa – 60 cm
Meio da coxa – 50 cm
Joelho – 41 cm
Barriga da perna – 35 cm
Braço – 31 cm

Triglicéridos – 208
Colesterol – 238
Glucose – 80

Índice de massa gorda – 39,2%

Assim, até ao meu aniversário, não irei avacalhar a dieta. Mais importante que perder peso para vestir roupinha janota, é atingir valores saudáveis em alguns destes parâmetros. Aceito sugestões, ideias, links sobre estes assuntos e tudo o mais!

Mas nem tudo é mau: ontem vesti umas calças que não usava há dois anos. Ficaram impecáveis!

Outra coisa: várias ninas perguntam se me podem linkar nos blogs delas. A resposta é sim, e ninguém precisa pedir, ok? Fico até honrada!

Ps – quase me esquecia: já comecei a tomar o ansiolítico. Na primeira noite tive sono aí às 23.30, o que não me acontecia há anos. Fui para a cama, dormi e… acordei despertíssima às 3 da manhã! Agora já estou a habituar-me, esta noite dormi quase 7 horas. Mas confesso que não gosto: não acordo com o speed habitual. Enfim, também é só para tomar 30 dias seguidos e depois os últimos 10 comprimidos serão dia sim, dia não.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Consulta médica

Dia complicado este. Lá fui à médica e não gostei muito do resultado. Segundo a ecografia, o meu fígado e vesícula continuam com problemas, apesar de estarem melhores. Mas estão no bom caminho.

Quanto ao pé… é outra loiça. A fascite plantar está a melhorar mas tudo indica que tenho uma calcificação num tendão. Vou fazer raio-x e eco para ver se o altinho que tenho no peito do pé é mesmo isso. Se for, terei de fazer fisioterapia intensiva e caso não resulte, submeter-me a uma cirurgia. Fiquei assustada com a perspectiva, confesso. Posso continuar com a natação e Pilates mas não posso caminhar. Tenho que evitar conduzir e subir/descer escadas. Repousar o mais possível. E já agora, perder dez quilos rapidamente.

Esta ela a dizer aquilo tudo e eu a suar. Perguntou-me se tinha calor e lá lhe respondi que sempre que fico nervosa suo. Fez outras perguntas e chegou à conclusão que as 4/5 que durmo por noite são pouco. Resumindo: receitou-me um ansiolítico, não sem antes me garantir que é leve e não me vai transformar numa zombie ambulante.

Como raio vou perder dez quilos rapidamente se tenho que repousar o mais possível??? Sem caminhar, o mais que estou a conseguir é manter o peso!

Nota cómica do dia: fui à natação antes da consulta. Quando me estava a vestir, reparei que não tinha posto cuecas no saco. Tive que vestir os jeans mesmo assim e ir a correr a casa buscar umas, só a ideia da médica querer ver a perna e eu ter de tirar os jeans… já imaginaram a vergonha????

Bolas, eu só queria ser normal!


Ps – obrigada por todos os elogios ao Diogo, ele é mesmo um cão muito especial!

Pps – agora vou marcar consulta na dentista, parti um dente a comer pão!

Ppps - logo que possa vou pôr os comentários em dia nos vossos blogs, ok?

quinta-feira, 13 de março de 2008

Diogo, o meu cão


Atendendo a vários pedidos, cá vai a foto do Diogo Cão, um rafeiro filho de uma Podengo e de pai incógnito (apesar de haverem suspeitas não confirmadas…). A minha avó soube que a vizinha estava a dar cãezinhos e desatou a insinuar que um cãozinho seria muito bom para lhe fazer companhia e tal. Quando uma gaja chega aos 90 anos e está a recuperar de uma perna partida, tem direito a pedir o que lhe apetecer, certo?
A minha mãe foi lá buscar um e teve que trazer o último da ninhada, um piroso que ninguém queria, muito gordo e quase preto.

Afinal não era muito gordo, estava só cheio de parasitas e também não era lá muito preto: depois de dois banhos começou a surgir um pêlo cinza lindo com madeixas prateadas. Estava cheio de pulgas e carraças, tinha medo de nós, rejeitava a caminha e preferia dormir no meio da lenha. Fugiu e voltou para casa da vizinha montes de vezes, que lhe deu uma corrida de todo o tamanho, incluindo ameaças de lhe bater com um pau. Resultou: percebeu que era connosco que teria de viver.

O Diogo é um estupor tão feliz, mas tão feliz, que acredita que o mundo gira à volta dele. Herdou da mãe os traços típicos dos Podengos: meigo, afectuoso, brincalhão, veloz, sem pinta de agressividade e muito asseado. Adora caçar coelhos (apesar de nunca ter apanhado nenhum…), perseguir toupeiras no quintal (e destruir a horta!), andar de carro, ir à praia para poder ladrar às ondas, dormir ao sol e brincar com crianças.

Defeitos? Tem alergia ao pólen e a algumas proteínas, o que o obriga a uma dieta muito rigorosa (e cara!). Tem a mania que é gato e não hesita em saltar para cima da mesa e roubar aquilo a que acha que tem direito. Quando não gosta da ração, vira o prato ostensivamente, qual sindicalista em greve. Tem medo de bonecos de borracha que façam barulho e nunca, mas mesmo nunca, vai buscar um pau que eu lhe atire. A teoria dele é muito simples: “foste tu que atiraste, vai tu buscar – não sou teu criado, ó lindinha”.

Um cão destes é o maior antidepressivo que alguém pode ter! Outra utilidade: interioriza horários muito rapidamente, se for passear dois dias seguidos a uma determinada hora, ao terceiro dia faz um escândalo se não o levarem à rua. Excelente para quem quer uma motivação extra para fazer caminhas ou até mesmo corridas.

PS – não está à venda!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Miscelânea de assuntos

Estranhamente, estou a conseguir manter a motivação. Um escorregão aqui e outro ali, mas tudo dentro de certos limites. Como já disse muitas vezes, eu só consigo emagrecer com a ajuda do desporto. Tenho feito natação duas vezes por semana e ontem fui à segunda aula de Pilates. Mais que isto é-me impossível, o meu pé está longe de melhorar e não posso mesmo fazer as minhas amadas caminhadas. Nem o passeio de quinze minutos com o meu cão tem sido possível, voltei a ter dores muito fortes. E eu adoro aquele passeio depois do jantar, de ver o idiota a correr e de assobiar quando vem um carro. Ele encosta-se logo ao muro e não se mexe! (coisa mai linda!)

Hoje pesei-me e claro, nada do peso descer. 73. Fico com aquela sensação de “tanto cuidado para não sair do sítio”. Eu sei que não é bem assim, que se eu estivesse a comer “normalmente” esta imobilidade já me teria feito ganhar uns quilos. Não engordei e ainda perdi mais dois centímetros de pneu. Intelectualmente, sei que isso é um bom sinal. Mas emocionalmente… sinto-me a trabalhar em ponto morto, percebem a sensação?
Terça-feira volto à médica, vou exigir novo raio-X, ecografias, tudo a que tiver direito. Isto já não está só a condicionar as caminhadas, ainda ontem não fui buscar o meu pão integral preferido porque a padaria fica a 500 metros e eu tive muito medo de não aguentar a volta. Na segunda-feira, só me faltou desatar a chorar no hipermercado, fazer umas compras tornou-se exercício pesado. Confesso que estou desanimada com o rumo que esta lesão está a tomar.

Mas deixemo-nos de queixumes que não levam a lado nenhum, certo?

No post anterior, acho que passei erradamente a ideia de que era contra produtos light e diet. Não é bem assim! Eu também compro muitas versões magras, tipo iogurtes, gelatinas, entre outras coisas. Eu estava a falar de palermices do estilo “profiteroles light”. Alguém acredita que seja possível fazer bons profiteroles que não engordem??? Prefiro comer um ou dois verdadeiros quando o rei faz anos do que entupir-me de sacarinas, conservantes, corantes e outras tretas. E as bolachas? Normalmente têm menos uns 10 a 15 % de calorias. Compensará? Não será melhor comer uma coisa boa de vez em quando do que imitações rascas que nunca nos deixam satisfeitas? Alguns chocolates diet sabem a sabão. Eu nunca comi sabão, mas aposto que é aquele o sabor!

Disseram-me que agora há “presunto light”. Nem quero ver tal aberração. Como raio pode o presunto ser light??? Deve ter cá um sabor do caraças… Assim como assim, guardo o meu desejo por presunto para a próxima visita a Trás-os-Montes!

Há coisas que só devemos consumir muito esporadicamente. Então que seja a “real thing”, ainda que metade da quantidade dos “velhos tempos”.

Nota para as meninas do Brasil: a fruta aqui não é assim tão cara! Só é cara a tropical porque é importada. Manga e papaia são caras, mas não são uma necessidade, certo? Excepção para as bananas: as importadas são baratíssimas, as nossas, da Ilha da Madeira, custam mais do dobro. São muito pequenas e super saborosas!
Temos imensas variedades de maçãs, peras, laranjas, morangos, uvas, figos… não há necessidade de gastar fortunas em fruta tropical que ainda por cima é colhida demasiado verde e nem tem um sabor por aí além. Os legumes também são acessíveis, os da época comprados no mercado estão ao alcance da maioria. Agora, se os comprarmos lavados, cortados e ensacados, o preço já é outro.
(Já agora: que interesse tem comer vegetais aos quais foram adicionados antioxidantes? É que se não se adicionasse, eles ficariam escuros no sítio onde foram cortados, certo?)

A aula de Pilates foi óptima, adoro a professora. Só não fiz umas flexões em que é suposto apoiarmo-nos nos dedos dos pés. Nem no pé, quanto mais nos dedos! Fiz todos os outros, trabalhámos muito os abomináveis, digo, abdominais!

Beijocas!


Ps – serei a única com o blogger lento? Não consegui comentar em alguns blogs, não reconhece a password :(

terça-feira, 11 de março de 2008

Será mesmo caro fazer dieta?

Ontem fui às compras e encontrei uma amiga em pleno início de dieta. Ela não disse, mas bastou-me olhar para o carrinho dela para perceber logo: cereais integrais, suplementos, frutas tropicais, chocolate, compota, sumos e bolachas light e alguns vegetais, daqueles já cortadinhos, limpinhos e tal.

Este é um erro em que já caí: comprar versões light e diet de tudo. No fundo, eu queria continuar a ter a mesma alimentação, mas sem engordar. Apaziguar a culpa de comer coisas que não deveria, substituindo-as por versões menos calóricas/gordurosas.
Deu asneira, claro. Em vez de duas bolachas normais, acabava por comer quatro diet. Aposto que anda por aí muita gente a engordar bastante à conta de só comer produtos diet e light.

Agora o meu plano é outro: comer coisas normais, tendo muita atenção às quantidades e evitando alimentos excessivamente calóricos. No fundo, o que eu quero é aprender a comer correctamente, sem neuras. Eu não quero stressar só porque fui convidada para um jantar, nem quero seguir um regime alimentar que seja incapaz de cumprir fora de casa e muito menos gastar quantias exorbitantes com comida.

Ao contrário do que corre por aí, eu não creio que comer saudavelmente fique muito mais caro que comer porcarias. No meu caso, até acho que poupo!

Sejamos honestas: precisamos mesmo de comer frutas tropicais caras? Se temos peras, maçãs, laranjas, tangerinas, bananas, kiwi a preços razoáveis, justifica-se enveredar por dietas que “exigem” que se coma meia manga ao pequeno-almoço? E mesmo nestas frutas, a diferença entre comprar no supermercado ou no mercado ao ar livre pode ser bem grande.

O pão integral simples é sempre mais barato que bolachas diet. Farelo de trigo ou sementes de linhaça são muito mais baratas que batidos de fibra e proteínas. Iogurtes e leite magro não dão cabo do orçamento de ninguém. Ainda ontem vi que o leite magro do Pingo Doce (que para quem não sabe, é produzido pela Agros e rigorosamente igual ao que vem nos pacotes dessa marca) custa 0.60 €. (O meu é bem mais caro por não ter lactose, cerca de 1.10 €, quase o dobro!). Os sumos light são mais caros, mas… precisamos mesmo beber sumos todos os dias?

Podem argumentar que os vegetais são caros. A verdade é que sempre comi imensos vegetais, logo não os compro como parte duma estratégia de emagrecimento mas sim porque os adoro. Simplesmente, não sei viver sem eles. Mas atenção: eu não compro aqueles pacotinhos já com tudo cortadinho “para poupar tempo”. São muito mais caros! Compro tudo inteiro, tenho tempo de os cortar em casa. Ás vezes também compro vegetais congelados, especialmente para fazer saladas frias. (Só não compro couves de Bruxelas congeladas porque ficam horríveis, super moles!)

Então, o que tinha o meu carrinho? Água, leite, queijo fresco magro, iogurtes magros, montes de vegetais, pêra rocha, atum com pouco sal, peixe (já provaram peixe gato riscado? É delicioso!), arroz e massa normais (a massa integral é intragável poucas horas depois de ter sido cozinhada, e eu cozinho às 8 da manhã para almoçar às 13), fiambre da perna, manteiga magra (uma novidade no menu, que está a resultar: só de pensar nela perco a vontade de comer pão… aleluia, meu irmão!).
Laranjas e tangerinas tenho do quintal, mas comprei abacaxi que estava em promoção.
Olhem bem para os carrinhos das pessoas magras: vêem lá muitas coisas light? Pois…

Muito honestamente: ainda que alguns itens saudáveis sejam mais caros, só o facto de não comprar bolos, pudins, chocolates, batatas fritas, gelados, etc, etc, equilibra logo o orçamento.

Portanto, a todas as meninas que usam a desculpa “não tenho dinheiro para fazer dieta”: isso é desculpa pura e simples! Mãos à obra!


Ps – hoje tenho Pilates novamente, estou super entusiasmada!

segunda-feira, 10 de março de 2008

Quem diz a verdade...


Não merece castigo!
(sem tempo para mais, mas não resisti!)

sexta-feira, 7 de março de 2008

Tudo o que é natural é bom?

Como já comentei diversas vezes, a minha pele é muito, mas mesmo muito seca. Gasto pequenas fortunas para a manter com aspecto decente e não sou senhora de ter um vaipe e, vá lá, comprar um produto só porque cheira bem.
Ando numa fase de descama, o que quer dizer que a minha pele está tão seca que de noite me chego a arranhar de tanto coçar. O pior é pôr o creme hidratante: dói, mas dói mesmo. Pôr um vulgar creme está fora de questão, como têm sempre álcool para estabilizar o perfume é-me impossível usá-los sem sentir a pele a arder.

Há dias, uma cliente recomendou-me óleo de Onagra (no Brasil creio que lhe chamam Prímula). Pesquisei por alto e vi que realmente era usado para pele muito seca, dermatites, eczemas, TPM, entre muitas outras coisas. Animei-me, claro.

Fui então à nova ervanária da rua, cuja montra já está cheia de produtos de emagrecimento. Perguntei pelo óleo e suas indicações, na esperança de ver dissipadas algumas dúvidas. A menina lá sacou de um dossier e leu “colesterol alto, TPM, menopausa, secura da pele e rugas”. E contra-indicações? “Não tem, é um produto natural”, foi a resposta.

Eu desconfio muito de produtos naturais “sem contra-indicações”, um vulgar chá de hipericão, que se vende em qualquer supermercado, pode comprometer seriamente a eficácia da pílula (a Yasmin especifica que não se deve tomar este chá regularmente) ou causar queimaduras na pele por fotossensibilidade. No entanto, tem provas dadas em casos de depressão, inflamações e má digestão. Para a próxima vez que a virem à venda, reparem que estas contra-indicações nunca são referidas. Isto é absolutamente inaceitável!

Uma pesquisa superficial na net leva-me a lojas online, onde são descritas em pontos gerais os benefícios do óleo de onagra. Nenhuma delas referia as contra-indicações. Pesquisei em inglês (evening primrose oil) e… aparecem vários estudos, uns contra, outros a favor mas, mais importante ainda: todos referiam que pessoas com epilepsia ou outras doenças que provoquem convulsões não devem, em caso algum, tomar este produto. Este artigo vai mais longe a até dá concretamente o nome de algumas substâncias que não devem ser tomadas em conjunto com o óleo.

Qual é então o propósito deste post? Alertar para o uso exagerado de suplementos, sem regras e sem pesquisa de todas as características do produto em questão. Lá porque a menina simpática da ervanária vos diz que aquilo não faz mal a nada, não acreditem logo. Até porque muitas delas não têm formação na área, estão ali como poderiam estar a vendar sapatos. Pesquisem informação, de preferência em sites que não vendam os produtos. Evitem comprar estes produtos por impulso no supermercado, onde até costumam ser mais baratos.

Acima de tudo: tenham cuidado com a vossa saúde!

ps - se alguém estiver interessado nalgum aspecto mas tiver dificuldades com o inglês, diga! Logo que tenha tempo traduzo os parágrafos que precisarem, ok?

quinta-feira, 6 de março de 2008

Mania de inovar...

Resolvi dar um up na alimentação, fazer uns cortes e tal para compensar o facto de caminhar pouquíssimo (o pé continua a doer). Apressar a coisa, por assim dizer.

Anteontem de manhã estava com 73.5, meio quilo a mais, o que é normalíssimo para quem está com o período. Aqui a idiota, fartinha de saber que aumenta o peso nestas alturas (e não é engordar), resolveu optar por comidas mais lights para "minorar o problema".

Resumindo: anteontem e ontem almocei sopa sem batata + (peixe + salada) + fruta. Cortar hidratos de carbono. O resultado? ontem à noite tive uma coisinha má e comi pão e meio com manteiga depois de ter jantado sopinha e fruta. Não contente, dois quadradinhos de chocolate branco. E só parei porque:
1) não tinha mais pão em casa
2) li a tabela nutricional e vi que cada quadradinho tinha 95 calorias (dassss!!!! que é que puseram lá dentro????)

Ainda estive para dar a desculpa do período, mas depois mandei-me a mim mesma aquele sítio.
Eu não posso dar-me ao luxo de ter ataques destes, tenho mais é que aprender com eles.
Assim sendo, hoje almocei sopa + (1 ovo cozido + couve flor + esparguete). Sei que parece estranho, mas é bom. De sobremesa, tangerinas do meu quintal ;)

Vamos lá ver como é que a coisa vai correr logo à noite!
Amanhã vou tentar postar sobre "produtos naturais que não fazem mal a nada", andei a descobrir umas coisas interessantes... mas ainda tenho que organizar as ideias.

quarta-feira, 5 de março de 2008

Aula de Pilates

Ontem quase não fui à aula de Pilates. Já passava das 20h quando uma cliente saiu da loja. Lá fui toda esbaforida até ao carro (que estava longe, claro!) e dirigi-me ao ginásio, que eu tinha uma ideia de onde era mas ainda andei às voltas à procura do portão. Entrei no hall toda pimpona, falo com a menina da recepção e dei conta que tinha deixado o saco no carro. Resumindo: fiz figura de parva logo ali.

Fui fazer a aula sem me inscrever, afinal poderia não gostar do método da professora, certo?
Tinham-me dito que a professora era brasileira e fiquei logo desconfiada. A única professora brasileira que tive foi de step e era doida varrida: “vamo lá minha genti” , “prá ficar gata tem qui sofrê, uai!” e um magnífico “tem qui tê rebolado nesse bumbum!”. Escusado será dizer que suávamos em bica e nos sentíamos mais elefantes que gatas! A verdade tem que ser dita: maníacos do exercício são o pior que nos pode calhar num ginásio, geram o efeito contrário.

Bom, a professora tem cara de… professora. Sei lá, professora de História ou Literatura Medieval, assim uma coisa interessante (e não é piada, eu gosto dessas coisas, tá?).
Adorei a aula, super calma mas com exigência. Somos apenas seis ou sete e isso permite que ela tenha muita atenção com todos. Também gostei das colegas, tudo gente descontraída e simpática.
Senti muitas das minhas articulações a dar estalidos, especialmente na coluna. Hoje já me sinto muito mais direita e, claro, os músculos do tronco um tiquinho doridos. Nada de grave.
Saí da aula e fiz logo a inscrição!

Ah… quanto às calças: nem tive tempo de reparar! A verdade é que escolhi mal a t-shirt, que se revelou mais larga e curta que o desejado para exercícios de alongamento no solo. Resultado: passei a aula a ver o meu pneu em todo o seu esplendor no espelho. Nem tive tempo para me lembrar dos tornozelos branquelas!

Prémios que recebi

Então isto é assim: se eu perdesse tantos quilos quantos prémios recebi esta semana, já estava a usar as tais saias arrumadas :))

A Muffin de Chocolate ofereceu-me este:


E a Ana Sofia este:


As regras são as mesmas para ambos:

1)Este prémio deverá ser atribuído aos blogs que considera bons, aqueles que costuma visitar regularmente e deixa comentários;

2) Quando o prémio é recebido deverá fazer um post indicando a pessoa que lhe atribuiu o prémio e a respectiva ligação ao blog;

3) Indicar 7 blogs para atribuição do prémio;

4) Deverá ser exibido orgulhosamente o selo do prémio, de preferência com ligação ao local onde é falado dele.


Então cá vai:

Considerem-se nomeadas todas as que têm o seu blog ali na barra lateral, que foi hoje actualizada. Embora tenha outros blogs guardados na pasta "Favoritos" são estes que leio diariamente em busca de ideias e novidades.

Um grande beijo para todas!



terça-feira, 4 de março de 2008

Não é roupa a menos, é banha a mais!

Ontem tive uma fúria. Tudo começou por uma boa razão: procurar as minhas calças de ginástica, já que hoje tenho a minha primeira aula de Pilates. Há dois anos que não faço e estou super empolgada.

Tenho um armário enorme, 3 m de largura por 2.5 de altura, com gavetas enormes e tal e coisa. Não, a ideia não é gabar-me! é apenas explicar que é muito fácil “perder” coisas lá dentro. Pior que uma armário pequeno, onde nada cabe, só mesmo um grande, onde acumulamos montes de tralhas. Sobretudo roupa. E gorda que se preze diz sempre que “não tem nada para vestir”. Eu tenho pouca coisa que possa vestir. Mas tenho resmas de roupa! Assim sendo, cheguei à conclusão que o meu problema não é roupa a menos, mas sim banha a mais.

Abri uma gaveta e dei de caras com a roupa de Verão que usei em 2004, 2005 e ainda 2006. Em 2007 o desastre foi total, limitei-me a calças de ganga e t-shirts tamanho tenda de campismo.
Ontem vi o prejuízo causei a mim mesma: um corpo que me incomoda e montes de roupas lindas que não posso usar. A não ser que chegue pelo menos aos 70 quilos, nada daquilo me servirá. Em 2004 eu pesava 68 e estava convencida que estava enorme. Mal eu sabia que só quando tivesse mais uma dezena de quilos em cima me decidiria a tomar uma atitude decente, a deixar-me de dietas rápidas e milagrosas. A deixar de me enganar, à espera duma solução exterior e rápida. Não há.

A minha fúria foi contra mim própria, o meu “deixa andar”. A ideia de que os outros problemas eram mais importantes do que o excesso de peso e que quando os resolvesse tudo voltaria ao seu lugar.

2006 e 2007 foram particularmente duros a nível financeiro. Tive que tomar decisões complicadas, arriscar. Mas nada disso me engordou, a verdade é que utilizei a desculpa “algum prazer tenho de ter” para comer o que não devia. Ter de abdicar de frequentar ginásio não ajudou, é um facto. Mas ninguém, a não ser eu mesma, me espetou com pratadas de comida goela abaixo. Ninguém, a não ser eu, abriu o frigorífico para ir petiscar um queijinho, fui eu que pus mais comida no prato.
A responsabilidade é minha.

E também é minha a responsabilidade de emagrecer, de voltar a ter um peso saudável.

E hoje, que a redzone já chegou e a fome besta já se foi embora, é um bom dia para recomeçar!



Ps – não encontrei o raio das calças. Levo umas dum fato de treino da mami, que apesar de ter a mesma altura que eu tem as pernas mais curtas 3 cms. Assim, vou entrar no meu novo ginásio com cara de quem vai regar! Ah… benditos 36 anos, há 20 eu teria pura e simplesmente recusado a ideia de ir sem um equipamento “decente”…. eheheheh

segunda-feira, 3 de março de 2008

Deve ser castigo...

... no mês em que postei que mal sentia o TPM... zás! Um ataque de fome gigantesco! Cometi alguns deslizes este fim de semana, cedi um bocadinho. Não o suficiente para engordar, apenas o suficiente para empancar o peso. Hoje mesmo comi um pastel de feijão por pura gula.
Agora estou aqui cheia de sede e com azia... bem feito pra mim!!!

Agora as coisas boas :
Amanhã começo as minhas aulas de Pilates! Quando pensava que não encontraria nada mais barato que 27.50 €/mês, apenas por uma aula semanal, uma vizinha de loja comentou casualmente que tinha começado a praticar Pilates e que estava a adorar. Agora a parte mesmo boa: é no ginásio de uma instituição de ensino especial, daí os preços não terem nada a ver com os ginásios privados - 15 €/mês!
Duas vezes por senana seria 25 €, mas como não tenho autocarro às 21.30, tenho que vir de carro. Que é como quem diz: ao valor da mensalidade tenho que juntar o gasto extra de gasolina. Detesto ser pobre, mas não me adianta nada entrar em stress. Como a piscina é pertinho de casa, farei 2 vezes por semana natação e uma de Pilates, mais alguns exercícios em casa (quero treinar mais os abdominais!).

E logo, logo poderei voltar a caminhar! E depois terei a marginal da Póvoa de Varzim para fazer boas caminhadas à beira mar... posso exigir mais?

Com isto tudo, quero apenas dizer que há sempre uma solução mais económica, basta procurar!
ps - ok, ok, confesso ter saudades dos tempos em que frequentava um daqueles ginásios cool, em que nem era preciso levar toalhas e assim... :)) oh well, I'll survive!