Sim, já tinha perdido quase 12kg! grrrr

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

A vida em pause

Vim de férias cheia de genica e planos para pôr rapidamente a contabilidade da loja em dia, voltar às caminhadas, tratar do blog, fazer uma montra hiper sexy para o Dia dos Namorados e… e… e…
E? o carro avariou, o pé piorou e ainda por cima um conjuntivite no olho esquerdo. De modos que em vez do meu “fastforward”, empanquei num “pause”.

O carro já está a andar, mas volta para a semana ao mecânico. O pé está a ser tratado, o olho também. Mas tenho imensa coisa por fazer, coisas difíceis de fazer quando se está coxa e pitosga.

Tanto post de amigas que me apetece comentar com calma e não posso. Quando são temas que me interessam particularmente e merecem reflexão, prefiro deixar o comentário para mais tarde do que comentar pela rama. A propósito: leiam um artigo que a Débora publicou no seu blog acerca da “gordosfera” e do movimento para a aceitação da obesidade.

A ideia de que se pode ser obeso e saudável começa a alastrar, artigos quase pró-obesidade são publicados em blogs. Dizem que nem todos podemos ser magros e elegantes. Isto é verdade até certo ponto, nem todos nascemos com bons genes. Mas… aceitar a obesidade??? Será esta a solução? Não será isto um simples baixar os braços?

Alguém pode, com honestidade, afirmar que ter 10 quilos a mais é o mesmo que ter 40?
Eu tenho 1.60 e 74 quilos. E se eu pesasse 100? Teria a mesma qualidade de vida? Subiria tão facilmente escadas? Cortaria as unhas dos meus próprios pés? Conseguiria coçar as minhas próprias costas? Duvido muito!

Uma coisa é estimular a aceitação do eu, a promoção da auto-estima. Outra, bem diferente, é dizer que os obesos podem ser tão saudáveis como os outros. Podem enquanto são jovens e o corpo tem resistência. E depois? Queremos ser velhos enormes, dependentes dos outros para tudo ou curtir uma velhice saudável? Pode alegar-se que os magros também sofrem de reumatismo, artroses, varizes a afins. Pois sofrem, mas a diferença é que o excesso de peso agudiza – e muito – as dores articulares e os problemas de circulação.

Não olhem para as amigas gordinhas activas. Olhem para os idosos da vossa família, até para os vossos pais e tios.
O meu pai já teve dois AVCs. É magro, não fuma e faz exercício. Podem até dizer “estás a ver como também teve problemas?”. Mas a verdade é que a sua recuperação quase total (e quem não o conheceu antes nem se apercebe de nada) deve-se justamente à sua saúde. Fosse o meu pai obeso e fumador e nunca teria recuperado tão espectacularmente. Nem sou eu que o digo: são os médicos dele. Faz este ano 70 anos e passa por mais novo que o seu irmão de 57. Que por acaso- ou não – atira para o balofo e fuma desalmadamente…

É claro que quero emagrecer para ficar mais bonita e elegante. Quero voltar a vestir coisas realmente bonitas e não apenas aquilo que não me fica mal de todo. Mas quero, acima de tudo, ser saudável.

Portanto, não vamos mascarar os perigos reais da obesidade nem disparatar ao dizer que ser obeso não é grave. Que é tudo uma questão de estética e de modelos da sociedade. Porque não é assim.

7 comentários:

Su disse...

Sim, eu também acredito que as pessoas devem lutar para ter uma saúde melhor.

Não consigo imaginar alguem a defender que ser obeso pode trazer mais saúde do que ser magro.

Mas de qualquer forma, acho que se deve aceitar toda a gente e se a escolha da pessoa for ser obesa (que eu duvido que seja uma escolha, é mesmo um baixar dos braços) então, terei de aceitar.

Beijoca, bom findi e as melhoras de todas essas maleitas :D

Muffin de Chocolate disse...

Olá Papoila!

Houve uma altura, em que era mais gordinha e me sentia muito saudável! Aliás, quando entrava em dieta...mas dieta=passar fome ficava revoltada e achava que apenas tencionava perder peso por causa dos outros...

Hoje penso de forma completamente diferente. Obesidade não tem a ver com estética...ok...é importante estarmos bem, a roupa servir-nos e tal...mas mais importante do que isso é a saúde!

É mesmo como tu dizes...curtir a velhice. Ainda vamos muito a tempo de garantir um futuro melhor.

Beijocas!

Sandra

Sarapatica disse...

Papoila...adorei o teu post de hoje. Concordo plenamente, assino por baixo...não tivesse eu iniciado o meu blog quase á 2anos quando deixei de fumar, coisa de k muito me orgulho...emagreci...entretanto engordei, mas sinto.me muito mais saudável e feliz pk consegui correr no ginásio mais de um minuto e respiro muito melhor...joquinhas e BFS

disse...

Oi Pá, ainda ontem minha filha me mostrou esse artigo sobre a "gordosfera" e eu estava mesmo a matutar sobre o assunto, até pensando em fazer um post a respeito. Isso dá mesmo o que falar pois me parece um movimento de rejeição de práticas saudáveis, sob o disfarce da aceitação da própria obesidade. É muito comum ao ser humano criticar e depreciar aquilo que não pode ter. Acredito ser esse o caso desse movimento. Chega a ser divertido num certo sentido, pois as piadas sobre gordos já são comuns. Agora se os próprios gordos também começam a fazer piada sobre si mesmos, sob o pretexto de demonstrar auto-aceitação, fica algo escatógico. E as pessoas adoram aberrações. Logo ...é melhor ser uma aberração aceita do que um gordo que tenta emagrecer, não consegue e é rejeitado. Sei lá, posso até estar sendo radical, mas prá mim obesidade é como a AIDS: predispõe o corpo a doenças oportunistas, sobrecarrega órgãos e tecidos, degenera a qualidade de vida. É claro que existem obesos que tem hábitos saudáveis, ainda que insuficientes para chegar ao padrão de magreza calculado pelo IMC. Ok, se se aceitam assim na aparência, pois estarão ganhando duplamente. Mas tenho certeza de que esses não saem por aí se auto ridicularizando para dizer o quanto são felizes com sua obesidade. Não pode ser algo normal. É isso o que penso, mas talvez ainda tenha que analisar melhor a coisa. Me permita salvar esse comentário em meus guardados para trabalhar melhor essa questão e usá-lo futuramente em um post ou em outros comentários que venha a fazer sobre esse assunto.

E na questão do tempo de cada um, eu apenas lamento não poder fazer tudo o que gostaria, sempre, mas não me desespero não. O problema é que a cada dia aumenta o número de coisas interessantes a fazer além daquelas que são obrigatórias mas não tão interessante assim, não é? Bom trabalho prá você e um grande fim de semana! Bjs. Zá

Kikas disse...

Oi linda....não conhecia o teu cantinho....vim cá parar hoje por mero acaso....mas concordo plenamente com o teu post....não nos podemos aceitar c muito peso acima do aceitavel não só pelo presente mas essencialmente pelo nosso futuro....é o que estou a fazer.....Convido-te a conheceres o meu cantinho:)
Vou linkar-te ok?!?!?
E conto com a tua visita.....
Beijokas....

Ana Sofia disse...

antes de nada, as melhoras... e já agora vai à bruxa, pk tt azar junto é d+!!!
E antes um PAUSE a substitui rum FForward k um gd REWIND...
Kt ao teu post d hj, devo dizer k sou tão anti Pró-Obesos, como sou anti pró-anas e pró-mias. A obesidade não é bem um disturbio alimntar mas não é igual a saúde... E por mt k digam k pode-se ser gordo e saudável, concordo a 100% ctg em todos os exemplos k dxast.
P além dixo, há tb a kstão da aceitação social. E como pod uma gorda sntir-s bem c ela pp s alguém na rua lh xtiver sp a xamar à atenção p exa condição!!!
Sendo curta e grossa: s são obesos e felizes, parabens p eles... Eu cá kero é emagrecer... Pk a mim obsidade n m trouxe nm nc trará felicidade
Bjs

Gô! disse...

A verdade (no meu ponto de vista) é que isso de gordosfera é um grito de liberdade para todas as pessoas que não se importam em ter costelas aparentes.

É, na verdade, o povão gritando que não consegue e nem quer ser modelo de passarela.

Claro que ser obeso não é saudável. Mas porque eu não posso ser uma Gordinha da Silva!?

Eu entendo o lado deles. Eu quis parar de emagrecer mesmo tendo uma barriguinha e não estando no meu imc ideal.

Acho que o que eles dizem é que cada um faz o que quer com o próprio corpo. Assim como tem gente que pindura milhões de pircings pelo corpo, eles podem ser gordos.

Bom. Eu ainda acho que é muito mais um grito de libertação. Tipo uma parada gay.

Beijão e se cuida