Sim, já tinha perdido quase 12kg! grrrr

terça-feira, 22 de julho de 2008

Papoila bem comportada

E lá se acabaram os três dias de descanso, praia, passeio e boa comida.
Isso mesmo, leram bem, aqui a Papoila comeu muito bem tendo em conta a situação. Nem uma grama engordei! E olhem que tive direito a mariscadas, tapas espanholas, gelado, vinho e pão alentejano.
O milagre? Não tem milagre, tem… planificação!

Vamos por partes:
O casal amigo com quem fui passar estes dias não é lá muito dado a comidas lights, preferem as tradicionais. Também têm horários muito diferentes dos meus, almoçam lá pelas 14/15h, jantam às 21.30, na melhor das hipóteses… fazem imensas refeições fora…
Noutra altura, isto seria logo um “se é prá desgraça, é prá desgraça”.
Desta vez não foi! Para começo de conversa, meti no meu saco pacotes de 200 ml de leite se soja, fáceis de transportar, bolachas de aveia integral e maçãs gala. Levei também aveia suficiente para os pequenos-almoços. Determinei que não seria apanhada longe de um frigorífico longas horas e à mercê de bares de praias e afins. Iria comer no MEU horário, independentemente deles.

Sábado
Cheguei a Lisboa às 9.30 da manhã e lá estavam eles à minha espera. Primeira paragem: Jardim do Príncipe Real para pequeno-almoço deles e um café para mim. Aproveitamos para comprar lá frutas e legumes de excelente qualidade, já que ao sábado há um mercado ao ar livre de produtos biológicos. Recomendo vivamente a quem mora perto!

Fomos a casa prepararmo-nos para um tarde de praia. Antes de sairmos, aí pelas 13.30, almocei uma salada com queijo fresco, comi uma peça de fruta e meti outras no saco da praia. Eles não comeram nada, já que tinham tomado um bom pequeno-almoço.
Praia, mar, banho…. E “almoço” às 17 da tarde, no restaurante da praia: camarão, amêijoas, mexilhões e…. salada, muita salada, duas fatias de um pão excelente e água como bebida. Se estava a comer pão, não ia abusar mais e beber cerveja, certo? Eles dividiram uma mousse de chocolate, de sobremesa.
O jantar? Fruta e um copo de leite, já por volta das 22h

Domingo:
Levantei-me às 7.30 e aproveitei o facto de eles viverem a uns 700 metros da praia. Comi uma laranja, peguei numa garrafa de água e fui caminhar uma hora na marginal, voltei para casa e tomei o meu leite com aveia. (aqueles estafermos são dorminhocos!)
Almoçamos em Cascais, num restaurante italiano excelente e comi uma coisa que não sei o nome nem nunca tinha visto. Limitei-me a copiar o pedido da minha amiga, já que temos gostos muito parecidos. Eram vegetais e queijo feta salteados e embrulhados numa massa folhada finíssima, super leve e acompanhado de rúcula de um molho que não identifiquei. Devia ser o equivalente a uma colher de sobremesa, espalhada em salpicos no prato e não na salada. Aquilo parecia comida de revistas gourmet!
Para ser honesta: apeteceu-me fotografar aquilo tudo, mas não quis dar aspecto de provinciana… lololol Sobremesa? Um doce que juntava morangos, uma bolacha finíssima e crocante e mousse de maracujá.
Notem bem: a sobremesa foi dividida pelos três!
À tarde comi gelado da célebre gelataria Santini. Eu não ia a Cascais há uns 7 ou 8 anos, recusar um gelado era crime! Se os reis de Espanha quando vêm a Portugal vão lá comer gelado, eu lá ia deixar passar a oportunidade?

À noite os filhos (já adultos) do meu amigo iam lá jantar a casa, por isso houve jantar “a sério”: lombo assado com alecrim, arroz de forno e cogumelos salteados. Optei por iniciar a refeição com uma salada de tomate e só depois provei a outra comida. Comi pouquíssimo, mais interessada na conversa do que em morfar. Bebi um copo de vinho da Bairrada, excelente.
Sobremesa: gelado de chocolate negro. Comi uma colherzinha de sobremesa.
E sabem que mais? A embalagem era de 250 gr, seis adultos comeram gelado e ainda sobrou quase metade da embalagem.
Claro que eles são magros!
Aliás, reparei bem na quantidade de comida que ingeriam e devo dizer que apesar de à primeira vista “comerem de tudo, até sobremesas calóricas”, a verdade é que as quantidades eram mínimas! Aquilo que para nós será um dia, na melhor das hipóteses, a fase de “manutenção”, para eles é comer normalmente. Não há exageros, não há repetições generosas, não há pratos cheios. Tão simples quanto isso!
Tanto em casa como na rua, comem pouco. Não admira que se mantenham elegantes!

Alguma vez, numa família de gordos ou glutões, uma embalagem de 250 gr de gelado daria para seis pessoas e ainda sobraria? Eu tenho sérias dúvidas!

Não vou falar do que comi ontem, uma vez que foi na mesma linha: uma refeição fora com coisas diferentes do habitual e muito cuidado nas restantes.
Reparem bem: muito cuidado. Comer pouco naturalmente não é inato em mim como parece ser nestes meus amigos.
Nos restaurantes, comi exactamente como eles: pouco. Mas fi-lo por disciplina, por medo de pôr a perder todo o empenho das últimas semanas. Não o fiz por achar que metade da comida que me põem no prato é mais do que satisfatório. Não o fiz por desprendimento à comida.
Fi-lo porque me propus ter um peso mais saudável, mais de acordo com a minha altura e idade.
Olhando para eles, sinto que me falta ainda um longo percurso a percorrer.

Talvez eu nunca seja capaz de comer pouco por apetite natural. Talvez tenha de vigiar a minha alimentação sempre, especialmente em termos de quantidade.
Mas em conversa com a Estela, percebi uma coisa: não sou a única que faz uma alimentação impecável mas sempre a sonhar com o que ficou na travessa.
Se calhar, temos algum defeito de fabrico… mas reconhecermos estas características e lutar contra elas é meio caminho para a vitória!

Melhor ainda: não estamos sós!



Ps – obrigada por torcerem pela artrose! Lolol (ao que uma gaja chega!)

13 comentários:

Tágide disse...

Não tão sós não!
Eu tb sofro desse mal, ficar com vontade de comer mais.
Tb tenho uns primos assim, comem pouco aiiiiiiiiiiii.
Vá beijufas

Vania disse...

Pode me incluir na lista... meu defeito de fabricação me rende muito mais trabalho para emagrecer... mas vou conseguir.

Beijos

Marisa disse...

Antes de mais, estoua precisar de umas cortinas como as tuas..olhos que não vêem coração que não sente. rss É mesmo nisso que ando a pensar: mais importante que o peso a descer rápido é descer da forma correcta e ir melhorando a constituição corporal, flexibilidade, etc.

Quanto ao teu post, achei imensa graça pelo enfâse no comportamento dos amigos magros. Desde que decidi que tinha que mudar os meus hábitos passei a uma fase em que observava os comportamentos dos amigos magros e do gajo cá da casa. Realmente, as pessoas não costumam ser magras por obra e graça do espírito santo. Fora raríssimas excepções, têm é comportamentos magros. Quanto à vigilância, acho que a tendência será para termos que a manter ao longo da vida, acredito é que isso vai virando uma coisa cada vez mais natural. Pelo menos, no dia-a-dia. Quando olho para os amigos magros, aqueles que sempre conheci com um peso muito similar, mas que até são bons garfos e adoram boa comida e petiscadas, percebo que eles também têm os seus mecanismos de vigilância. Fazem-no é de uma forma relaxada, sem stresses, como se fosse algo que lhes é natural. De maneira geral, são moderados, mas também têm os seus momentos de gulas. Mas não deixam o peso aumentar ou surgirem as indisposições para tomar medidas. Tipo almocei no restaurante X, estava óptimo, estiquei-me um bocado, agora ao lanche e ao jantar apetece-me comida mais leve.

Ah! Parabéns! linda menina, sim senhora. rss Um monte de tentações e nem usou a desculpa das mini-férias para se esticar. ;)

Beijinhos

Muffin de Chocolate disse...

Olá Sra. Papoila!

Sim senhora...muito bem, que menina tão bem comportada, que orgulho!

Sabes, dou-te os parabéns, pois eu estou a preparar-me para engordar uns 2kg (na melhor das hipoteses) nestas férias...portanto....


PARABÉNS PELA DETERMINAÇÃO CARAGO!


Eu tenho esse grave problema de ficar a pensar no que ficou na travessa..mas enfim, já sabemos que temos uma luta a travar contra os kg até ao fim da nossa vidinha...

O que fazer? Tentar não pensar nisso a toda a hora...apenas quando nos sentamos à mesa para comer...


Beijocas e ainda que bem que estás de volta, elegaaaante!!!!

:D

Beijocas

Crista disse...

Maravilhoso Papoila, pratos formidáveis e não jacaste uma única vez!!! Ah, grande mulher do norte!!!

Mil beijos e bom retorno ao trabalho.

Gô! disse...

Oi Pá!
Veja bem! Eu li tudinho lá no dia que você postou, ok =P

Eu adorei sua história! Impressionante! Mas eu fiquei pensando.

Tem sim magro que come feito um porcão. Meu cunhado é um palitinho e come mais do que todos aqui! Então, não é verdade que *todos* os magros comem pouco, assim como não é verdade que *todos* os gordos comem muito.. heheheh

Mas isso aí de 250gr de sorvete ser suficiente para satisfazer 6 adultos é uma beleza! Isso quer dizer que eles estão acostumados a isso....

E quer dizer que na minha casa tudo sempre foi exagerado!

O Lindinho diz que isso do exagero é coisa de quem viveu de perto a inflação. Houve uma época aqui em que o preço das coisas variava 100% em uma semana. Então tinha-se que estocar mesmo.,...

Bom, motivos e desculpas arranjamos aos montes, não!

E eu também estou com você (aí na lista do não estamos sozinhos). Eu ainda não tenho inato isso de comer pouco, eu controlo, mas fica sempre aquilo de "falta um pouquinho" Oh coisa de gordo!

No mais, que beleza de fériaszinhas que você tirou, heim! Maravilha!

Mil beijos =D

Ana Sofia disse...

n me kero armar em carapau d corrida mas axo k tenho um defeito d fabrico um pouco pior. Não como naturalmnt mt. mas tb n são poucas as xs k fico a pnsar no k ficou na travexa. O problema é k (e é aki k o dfeito d fabrico é mm brutal) n gosto d ficar a pnsar muito em alguma coisa por ixo, lá vou eu atacar.
Bjs

Crazy Cat Lady disse...

olha, o poder comer muito ou pouco com distribuição normal de comida e porcarias depende mais do metabolismo que outra coisa - comer só porcaria corre sempre mal, ou se fica gordo, ou se fica um palito banhoso (há uma porrada deles). Mas nem sempre o corpo pede a quantidade adequada de alimentos (mudanças de peso são uma foda para o pâncreas e para a tiróide), o que não se pode bem alterar totalmente, mas o homem é um animal de hábitos, se te habituares às quantidades correctas vais deixar de sentir psicologicamente que gostavas de comer mais, o mesmo acontece com certos tipos de comida. A questão é que um idiota qq pôs-se a dizer que "dias não são dias" e parece que actualmente isso é aplicável 3 vezes por semana.
beijinhos e estou a na torcida da artrose

resolução minha disse...

muito interessante o teu comentário! Revejo-me perfeitamente nele e a tua conclusão final é genial: defeito de fabrico! Eu também o tenho de certeza, mas o que importa é pensarmos que estamos no caminho de o corrigir.
Bj

Amendoinha disse...

Viva!
Concordo com as tuas conclusões no final do post, e ainda acrescento algo que, tal como na minha, certamente se verificava em muitas casas.
Em minha casa era considerado errado e uma grande falta de educação,deixar comida no prato. Tudo o que era colocado no prato tinha que ser comido e como quem servia a comida era a mãe ou o pai, eles é que decidiam qual a quantidade a colocar e os filhotes só tinham que papar tudinho!
Nos dias em que íamos ao restaurante... era considerado "pecado" não comer tudo o que vinha, na travessa, para a mesa, é quase como se fosse uma ofensa para o cozinheiro, então, desta singela e "refinada" educação resultou uma família de gente... fortezinha e com grande apetite!!!

Parabéns pelo teu comportamento exemplar no fim de semana.
No planeamento é que está o ganho e mulher prevenida vale por duas, né mesmo?
Beijoka!

Luna Leve disse...

Adorei o teu texto e deu-me ânimo!

Realmente...esses teus amigos são o máximo! Devem ter sido educados assim, não sei...mas um gelado de 250gr para seis e ainda sobrar?????? Isso é um bocado twilght zoone...oh god....

Fico contente por te teres conseguido 'portar' bem! É assim que eu acho que deve ser: comer pouco, com cuidado...mas sem abdicar de um copito de vinho ou de um gelado!

E mai nada! Bom fim-de-semana nortenha!

Gô! disse...

Pá!

Você não acredita! O seu comentário foi o melhor de todos! AHUAHUAHAUHAAUH

Eu fiquei mesmo com vontade de ir lá e falar pra ele que o pingulin dele é pequetitinho HUAHUHAUHUAHUHA

Manézão!


Mil bejios ;) <3

Daise disse...

Vejo que s ecomportou direitinho, hien? Parabéns! Gostei muito do seu blog. Bjos!