Sim, já tinha perdido quase 12kg! grrrr

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

O fiasco da picanha

E estava eu tão entusiasmada para ir comer a tal picanha e afinal... uma porcaria!
Tinham-me dito que no tal restaurante se comia muito bem por um bom preço e lá fomos. Tinha duas opções: buffet ou menu. Comecei logo a achar esquisito, o preço do buffet era muito baixo tendo em conta a quantidade de comida que disponibilizava. Se é comida muito barata, desconfio logo!

Bom, lá pedimos a picanha, que era menu e de quantidade limitada. Primeira surpresa: não tinham farofa, estava esgotada. Restaurante brasileiro sem farofa??? Também não tinham cerveja preta fresca, alguém se tinha esquecido de as pôr no frigorífico. Ponto a meu favor: bebi água.

A comida lá chegou, o feijão estava óptimo - alguma coisa tinha de sair bem - mas a carne estava muito passada. Isto depois de eu ter pedido mal passada. O arroz estava razoável, mas...

O restaurante é de um casal, ela portuguesa, ele brasileiro. O fulano cirandava à volta dos clientes brasileiros e não nos passava cartão. Como fui a única a não querer sobremesa, nem se deu ao trabalho de tirar o meu prato da mesa. Ah, e as travessas lá ao lado... Teve que vir a esposa retirar a tralha da mesa, ele estava ocupado a discutir o Flamengo.

Olhem, irritei-me tanto! Não é que eu precise de tratamento VIP, mas há regras de bem servir que qualquer restaurante baratinho cumpre. Nunca vi ninguém comer a sobremesa com as travessas da comida ao lado! Depois, ter que pedir o café segunda vez e ouvir um "o vosso café? nunca mais lembrei, não". Na maior, tipo, isto é tudo nosso. Lá foi mais uma vez a esposa corrigir o erro dele e desfazer-se em desculpas. O gajo tratava-a claramente como se ela fosse uma empregadita, com a obrigação de fazer o que ele não queria. Este tipo de homenzinho mexe-me com os nervos.

O preço foi realmente baixo: 6 euros pela minha parte da picanha, uma água e um café. Mas fiquei com a sensação que paguei demais à conta da pilha de nervos que me meteu estar lá!

Próximo sábado volto à "minha" pizzaria, pode ser mais caro mas vale a pena, as pizzas são deliciosas ( e pequenas...) e o atendimento é quase o de um restaurante de luxo.

Eu sei que isto parece mesquinho da minha parte, mas a verdade é que almoço e janto sozinha durante a semana. Ao sábado à noite e ao almoço de domingo tenho companhia e acho esse tempo é demasiado precioso para o passar irritada por ter de estar constantemente a acenar ao empregado para pedir um simples café...

9 comentários:

Gordinha disse...

Quando eu vi "O fiasco da Picanha" já achei que você tinha enfiado o pé na jaca da picanha HAHAAH

Bom. Eu me solidarizo com você. Também ODEIO ter que passar nervoso em restaurante. E o idiotão tinha que te servir bem, não importa o que fosse. Afinal é ele que é o "seu" empregadinho, eheheh

Mas, menos mal. Acho que experiências ruins também são válidas. Agora nunca mais você vai nesse lugarzinho mequetrefe!

Beijos

Muffin de Chocolate disse...

Papoilaaaa! :) Estou como a nossa Gordinha: quando eu li "o fiasco da picanha" pensei que já tinha sido o fim do mundo e que a xixinha estava tão boa que não foi possível resistires aos seus encantos! Mas afinal...havia outra! Como eu te entendo, eu detesto ser mal servida, seja onde for: no café, no restaurante, no supermercado, no talho, na peixaria, na papelaria e até mesmo nas repartições públicas! Já apresentei reclamações no McDonald's, no BUS café de Leça da Palmeira e em outros sítios que agora não me lembro. Acho que preferi esquecer essas vezes em que tive de chamar a gerência ou reclamar com os funcionários. O pior é que isto acontece em tantos sítios. O que vale é que algumas empresas estão a apostar numa maior formação dos seus funcionários a este nível. Eu notei isso, por exemplo, no grupo Auchan (JUMBO). Tenho esse hipermercado mesmo perto de casa e costumo lá ir muitas vezes. Noto que houve uma grande mudança no atendimento neste local. Enfim, detesto que as pessoas estejam frustradas no seu local de trabalho e não desempenhem as suas funções com gosto e com o mínimo de seriedade e profissionalismo. Com apenas 16 anos fui trabalhar (trabalhei na Kodak, SONAE e Metro do Porto antes de entrar na faculdade e durante o curso) e apesar de ser muito jovem na altura sempre tive em conta que teria de fazer o meu trabalho da forma mais profissional possível e ter sempre como objectivo principal a satisfação do cliente. Nada muito difícil, certo? Nada que alguém com dois dedos de testa não consiga fazer. Quanto a restaurantes, fiz o meu jantar de aniversário no Chic Dream (Jardim da Cordoaria, Porto), não sei se conheces, mas aconselho vivamente este local, pois para além dos pratos deliciosos, o atendimento é 5 estrelas. Vai lá e pede a mesinha dos livros... :) Não te vais arrepender. Se já conheces, então sabes do que estou a falar. Tem lá paciência. Só tens uma coisa a fazer: nunca mais lá voltar. Já muito meiga foste tu, que nem o nome do restaurante divulgaste. Ahahah...Beijocas e continua firme! Sandra

Papoila disse...

Bom, eu tenho uma loja e sei bem o que é aturar pessoas chatas e malcriadas. Não fazem ideia dos sapos que já engoli, mas é o meu trabalho e gosto de o fazer bem feito. Ninguém sai daqui com motivos para ir falar mal de mim no café.

Se não se gosta de lidar com público, se não se consegue deixar a vida particular em casa, então há que escolher uma profissão com menos contacto e pronto!
O que me irrita é que hoje em dia toda a gente se sente no "direito" de "ter personalidade", que é como quem diz, se estão de trombas em casa, acham-se demasiado bons para pôr um ar profissional e fazer bem o seu trabalho. Nã... têm que "partilhar" o seu mau humor e má criação, como se eu não tivesse já os meus problemas e precisasse dos deles... Não conseguir adoptar uma postura simpática e profissional não é, de modo algum, sinal de personalidade forte que não se verga às regras da sociedade. É falta de profissionalismo, tão só.


Esse Chic Dream deve ser perto do Piolho, não? Aí pertinho costumo ir ao Zé Bota, no Inverno há uns bifes com grelos deliciosos :) E tem uma óptima relação qualidade/preço e bom atendimento. Tem um arzinho de tasca irresistivel :)

Mári disse...

Eu faço uma picanha em casa, de chorar por mais. Meu marido que o diga... rsrsrs
Beijos!!!

Muffin de Chocolate disse...

Olá novamente minha querida Papoila! :)

O Chic Dream é perto do Piolho, sim! Aii o Zé da Bota ou Zé Bota [ainda estou para saber qual o nome correcto]! Gosto muito de ir ao Zé Bota, sou cliente assídua[agora já nem tanto...] dessa bela tasquinha! Mesmo com a remodelação o sítio não perdeu o seu charme. Um atendimento cinco estrelas, um paté de atum com tostas de fazer crescer água na boca e um pavê de chocolate de morrer! :) O Chic Dream tem aquele ar quase brega...mas sem o ser. Não sei se estás a ver. A mesinha dos livros, é um pormenor tão simples, mas acho tão romântico sentar ali [se fores com um acompanhante especial]. A comida sabe melhor, ainda por cima agora que já aprendi a comer, a saborear não só o que tenho no prato, mas a companhia, o local...o ambiente. :)

Mau atendimento = personalidade forte? Não me parece, concordo contigo, quando estamos a trabalhar temos de deixar os problemas à entrada do local de trabalho. Na minha formação como professora aprendi que somos actores e que todos os dias temos de desempenhar o nosso papel o melhor possível, os alunos não podem ser alvo do mau-humor ou dos problemas mal resolvidos da pessoa que está ali para cumprir um objectivo: ensinar. Isso aplica-se em qualquer área. Todos temos responsabilidades e se cada um cumprir a sua parte as coisas correm melhor a todos. Tudo se resume ao que dissemos: profissionalismo.

Beijocas. Sandra

disse...

Oi Papoila, infelizmente esse brasileiro perdido por aí não é um caso isolado. Por aqui tb há muito descaso, independente do nível do restaurante. Falta de cultura de atendimento, de fidelização do cliente. Existem algumas ilhas de excelência ou pessoas que realmente gostam do que fazem, mas a maioria fica muito a desejar. Boa sorte na próxima! O pior é que ficou sem a picanha, oh dó! Bjs e ótima semana. Zá

Ana Sofia disse...

eu nixo tnh um dfeito... sou super critica... em kk café normal detesto tar à xpera d kk coisa enkt os funcionarios falam uns c os outros. odeio ver os "funcionarios da casa" a tratarem certos clientes tu cá tu lá e c linguagem brejeira. Odeio ainda mais que se eskeçam do meu pedido. Odeio ter k repetir "traga-m isto ou aquilo sff" mais que uma vez!!!! Portanto como vês, kk ida a kk café, p mim, é uma aventura...
Não são raras as xs k peço "um café curto" e m trazem altas banheiras de café ou então (o pior dos casos ocorrido) um garoto (tudo a ver). Cm tenho mau feitio e n m csg calar é lg o descalabro total. Nem que seja numa tasca o atendimento tem de ser feito d uma forma profixional, portnt sou 100% de acordo ctg...

Ana Bastos disse...

olá!!!
detesto mau atendimento!!! Sou capaz d eme levantar e vir embora , se no começo do pedido começar mal!!! Então sigo caminho!!!
E tb tenho levado grande "barretes"!!! O bom disso : comeste pouco ;)
Boa semana!

Anónimo disse...

achat cialis , acheter cialis, cialis, cialis 20 mg.